+258 84 422 6560 Info@safetravel.co.mz       | B2B Portal

Login

Sign Up

After creating an account, you'll be able to track your payment status, track the confirmation and you can also rate the tour after you finished the tour.
Username*
Senha*
Confirmar Senha *
Nome*
Apelido*
Data de Nascimento *
Email*
Celular*
País*
* Creating an account means you're okay with our Terms of Service and Privacy Statement.
Please agree to all the terms and conditions before proceeding to the next step

Already a member?

Login
+258 84 422 6560 Info@safetravel.co.mz       | B2B Portal

Login

Sign Up

After creating an account, you'll be able to track your payment status, track the confirmation and you can also rate the tour after you finished the tour.
Username*
Senha*
Confirmar Senha *
Nome*
Apelido*
Data de Nascimento *
Email*
Celular*
País*
* Creating an account means you're okay with our Terms of Service and Privacy Statement.
Please agree to all the terms and conditions before proceeding to the next step

Already a member?

Login

Covid-19: Nyusi anuncia alívio de restrições mas estende recolher obrigatório

 95 total views,  4 views today

Publicado em: 25/04/2021


Presidente de Moçambique anunciou caminho cauteloso rumo ao “novo normal”, incluindo a reabertura de igrejas, ginásios e do Moçambola. Mas recolher em vigor em capitais provinciais mantém-se e chega a mais cidades.

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, anunciou este domingo (25.04), numa comunicação à Nação no âmbito do estado de calamidade pública no contexto da Covid-19, a manutenção das medidas do decreto 17/2021 do passado dia 6 de abril, com algumas excepções com vista à transição para o “novo normal”. As medidas estarão em vigor por 30 dias, a partir das 00h00 do dia 27 de abril.

“Passados 21 dias desde a última comunicação, a pandemia continua a mostrar impacto negativo na saúde, na economia e na sociedade”, justificou o chefe de Estado.

As excepções anunciadas por Filipe Nyusi:

1. Abertura de casinos, museus, teatros, cinemas, auditórios, galerias, centros culturais e similares, não devendo a sua ocupação exceder os 40% da capacidade máxima;

2. Abertura de ginásios das classes A e B, não devendo exceder 30% e 15% da capacidade máxima, respetivamente;

3. Abertura das piscinas dos estabelecimentos hoteleiros para uso exclusivo dos hóspedes;

4. Alargamento do horário de funcionamento dos centros comerciais aos domingos, feriados e dias de tolerância de ponto, que passam a funcionar das 9h00 às 18h00;

5. Alargamento do horário de funcionamento de padarias, pastelarias e lojas de conveniência, que passam a funcionar das 5h00 às 20h00;

6. O recolher obrigatório entre as 22h00 e as 4h00 atualmente em vigor em Maputo e capitais provinciais passa a ser observado também nos seguintes centros urbanos: Manhiça, Chokwè, Maxixe, Gondola, Moatize, Mocuba, Nacala, Montepuez e Massinga.

7. Retoma dos cultos, conferências e reuniões e celebrações religiosas, com um número de participantes que não deve exceder os 30% da capacidade máxima de cada local ou 50 pessoas em locais fechados e 100 em espaços abertos;

8. Nos eventos do Estado, o número de participantes não deve exceder as 100 pessoas;

9. O alargamento do número máximo de visitas aos estabelecimentos penitenciários para duas pessoas por mês por cada recluso;

10. É autorizada a retoma do campeonato nacional de futebol, o Moçambola, mantendo-se interdita a presença de público. Medida é condicionada à realização de testes regulares aos atletas;

11 Excepcionalmente, em situações devidamente fundamentadas, poderá ser autorizada a realização de conferências e reuniões com um número de participantes não superior a 300 pessoas.

Reabertura cautelosa

“Embora tenhamos alcançado progressos importantes”, explicou Filipe Nyusi, “alguns aspetos ainda preocupam”, como a “taxa de positividade das pessoas testadas em alguns centros urbanos na Zambézia, Nampula e Niassa acima de 10%” e “o número atual de casos três vezes superior ao de antes do início da segunda vaga”. O Presidente sublinhou ainda a preocupação com as variantes mais transmissíveis presentes no país e os focos de incumprimento das medidas básicas de prevenção.

“Desde o início da pandemia, o nosso país tem estado a implementar medidas de contenção e, como resultado, continuamos a registar a redução de casos”, afirmou, destacando ainda a redução na taxa de ocupação de camas a nível nacional “para 3%” e os indicadores estáveis, “cinco semanas após o início das aulas presenciais”.

Segundo o chefe de Estado, a incerteza em relação à duração da pandemia coloca o desafio de buscar equilíbrio entre a reabertura das atividades económicas e a proteção da saúde pública. Por isso, sublinhou, a “transição para o novo normal deve ser cautelosa e assente nos princípios de gradualismo e reversibilidade”.

Notícia atualizada às 20h25 CET de 25 de abril de 2021.

Fonte:

Leave a Reply