+258 84 422 6560 Info@safetravel.co.mz       | B2B Portal
pt Portuguese

Login

Sign Up

After creating an account, you'll be able to track your payment status, track the confirmation and you can also rate the tour after you finished the tour.
Username*
Senha*
Confirmar Senha *
Nome*
Apelido*
Data de Nascimento *
Email*
Celular*
País*
* Creating an account means you're okay with our Terms of Service and Privacy Statement.
Please agree to all the terms and conditions before proceeding to the next step

Already a member?

Login
+258 84 422 6560 Info@safetravel.co.mz       | B2B Portal
pt Portuguese

Login

Sign Up

After creating an account, you'll be able to track your payment status, track the confirmation and you can also rate the tour after you finished the tour.
Username*
Senha*
Confirmar Senha *
Nome*
Apelido*
Data de Nascimento *
Email*
Celular*
País*
* Creating an account means you're okay with our Terms of Service and Privacy Statement.
Please agree to all the terms and conditions before proceeding to the next step

Already a member?

Login

Quedas no turismo obrigam a outras escolhas profissionais

Publicado  11/10/2020


Os números não deixam grandes alternativas. Com a queda de receitas no setor europeu do turismo a atingir patamares como os 95% em Portugal, por exemplo, entre abril e maio, e um verão que nem chegou a aquecer, há que tomar decisões. Falamos de um trabalho específico: os guias turísticos que têm protagonizado manifestações a reclamar proteção social. Mas muitos já estão a fugir para outras profissões.

Barbara Szuhai trabalha em Budapeste e está a pensar na mudança, tendo em conta as condições atuais. “Tento organizar passeios eu mesma aqui em Budapeste. Mas é horrível. E não temos apoios fiscais. O dinheiro que faço é para pagar impostos”, conta-nos.

Mariann Gellért já alterou o percurso profissional. Durante 11 anos, orientou grupos de viagem ao Dubai, uma vez que, para além do húngaro, domina o árabe e o inglês. Atualmente, trabalha numa padaria. “Foi uma oportunidade que surgiu. A minha família também me tem ajudado muito durante este período difícil. Estiveram ao meu lado até ao dia de hoje”, explica.

Segundo a jornalista da Euronews Olivia Harangozó, “outros guias tornaram-se motoristas de camiões ou revisores nos transportes públicos. Noutras valências do setor do turismo, há quem ainda mantenha a esperança”.

Há mais de 15 anos que Péter Jones trabalha com alojamento local. Os preços caíram para metade. E agora em vez de arrendar a turistas, as casas vão parar a estudantes.

“Tivemos de mudar de estratégia: arrendar a estudantes, com contratos com a maior duração possível, a preços baratos, para podermos pelo menos pagar as despesas de condomínio”, diz Jones teve de despedir quase 60 pessoas que colaboravam no serviço. Até agora, a sua atividade caiu 70% em relação ao ano passado.

Fonte:

Leave a Reply

0 Shares 11 views
Copy link
Powered by Social Snap
Login