+258 84 422 6560 Info@safetravel.co.mz       | B2B Portal
pt Portuguese

Login

Sign Up

After creating an account, you'll be able to track your payment status, track the confirmation and you can also rate the tour after you finished the tour.
Username*
Senha*
Confirmar Senha *
Nome*
Apelido*
Data de Nascimento *
Email*
Celular*
País*
* Creating an account means you're okay with our Terms of Service and Privacy Statement.
Please agree to all the terms and conditions before proceeding to the next step

Already a member?

Login
+258 84 422 6560 Info@safetravel.co.mz       | B2B Portal
pt Portuguese

Login

Sign Up

After creating an account, you'll be able to track your payment status, track the confirmation and you can also rate the tour after you finished the tour.
Username*
Senha*
Confirmar Senha *
Nome*
Apelido*
Data de Nascimento *
Email*
Celular*
País*
* Creating an account means you're okay with our Terms of Service and Privacy Statement.
Please agree to all the terms and conditions before proceeding to the next step

Already a member?

Login

MOÇAMBIQUE-ÍNDIA: Fórum de Negócios foi um passo importante na resposta aos desafios impostos pela COVID-19

O Fórum de Negócios Virtual Moçambique-Índia, organizado pela CTA, EEPC e Governo Indiano, envolvendo cerca de 100 empresários moçambicanos e indianos dos sectores da Saúde, Infraestruturas, Energia, Agronegócios e Maquinaria, foi um passo importante e produtivo na resposta aos desafios impostos pela Pandemia da COVID-19.

Falando na abertura do Fórum de Negócios, o Vice-Presidente da CTA, Castigo Nhamane, referiu que a CTA, como entidade que congrega e lidera as actividades do sector privado moçambicano, está interessada no desenvolvimento de maiores parcerias com a Índia, pela necessidade de trazer respostas mais eficazes para os desafios que a retoma da economia enfrenta. Nisso, acredita que a Índia pode jogar um papel muito importante para ajudar a alavancar e dinamizar o papel do sector privado moçambicano na resposta aos problemas que a economia enfrenta.
Dos sectores que dominaram o Fórum de Negócios, a Índia tem vantagens competitivas pela sua larga experiência. O Serviço de Saúde de Moçambique, assim como a indústria farmacêutica privada nacional, dependem grandemente de fármacos importados da Índia para o combate a diversas enfermidades.
A Índia tem sido um dos principais parceiros comerciais de Moçambique, tendo ocupado o segundo lugar em 2018, com um volume de comércio externo, com Moçambique, estimado em cerca de 1.882 milhões de Dólares, sendo que 76% do volume de comércio, entre os dois países, representa exportações de Moçambique para índia. Pelo que, o saldo comercial entre os dois países é superavitário a favor de Moçambique, ou seja, a Índia compra mais do que vende para Moçambique!

Necessidade de diversificação do leque de produtos

O Vice-Presidente da CTA, Castigo Nhamane, acredita que, apesar de o carvão, a castanha de cajú e o feijão estarem entre os principais produtos que Moçambique exporta para a Índia, existem potencialidades para a diversificação do leque de produtos que constituem a base das trocas comerciais entre os dois países.
“É por este motivo que trazemos como um sector prioritário o da maquinaria, com destaque para a agrícola, como forma de, por um lado, alavancar as trocas comerciais e, por outro, dinamizar a agricultura comercial para responder à nossa aposta no agronegócio como prioridade de acção”, referiu Castigo Nhamane.
O Vice–Presidente da CTA fez referência aos principais desafios impostos pela Pandemia da COVID-19, principalmente nos sectores de turismo, que viu reduzido o volume de reservas entre 80% e 95%; de transporte, que se debate com a redução em mais de 50% da sua facturação; e de Petróleo e Gás, que levou à reestruturação dos planos de investimentos e operações, o que adia, para 2023, o anúncio da decisão final de investimento do Projecto do Complexo Mamba da Área 4 Onshore, que estava previsto para este ano.
Pela magnitude do investimento de que se espera, cerca de USD 30 biliões, esta situação significou o adiamento de oportunidades para o sector privado nacional, o que atrasa as expectativas de Moçambique tornar-se um dos principais players na produção do Petróleo e Gás a nível mundial.
“É aqui, onde somos chamados a reflectir sobre as inúmeras oportunidades de negócios e investimento existentes também nestes sectores, para fazermos melhor aproveitamento do espaço ainda existente para incrementar a intervenção da Índia, quer no agronegócio, turismo, indústria e recursos minerais, bem como explorar outras áreas como energias limpas, pesca, incluindo a aquacultura e a indústria de processamento de pescado, como parte da diversificação a que nos referimos”, salientou Castigo Nhamane.

Leave a Reply

0 Shares 73 views
Copy link
Powered by Social Snap
Login